9 de Abril de 2010
Por José Manuel Costa

Ontem, quando assistia ao rescaldo do Liverpool-Benfica, lembrei-me de algo que, não tendo directamente a ver com esse tema, assemelha-se de um ponto de vista conceptual: não há melhor nação para destruir os seus símbolos que a portuguesa. Do oitenta ao oito, literalmente, em minutos.  

 

Saramago, Figo, Mourinho, Amália, Cristiano Ronaldo. Todos eles, em situações mais recentes ou mais longínquas, por uma razão ou por outra, já foram visados, directa ou indirectamente, de forma contextualizada ou vice-versa, por esta onda de críticas e más línguas.    

 

O futebol, como todos sabemos, desperta paixões em todo o mundo. Os portugueses – nós, os cidadãos comuns – são essencialmente “reconhecidos” lá fora por termos a mesma nacionalidade de Figo, Cristiano Ronaldo, Eusébio ou Mourinho. Porque razão, então, seremos tão injustos com eles no regresso a casa?  

 

Portugal tem este condão de, de um dia para o outro, destruir a reputação de quem passou anos a trabalhar para merecer este reconhecimento. Em Portugal condenam-se pessoas na praça pública, fazem-se julgamentos morais antecipados e, porque não dize-lo, diz-se mal só por dizer. É a nossa sina.  

 

Se já somos, por natureza, desconfiados, esta desconfiança ganha outra proporção em períodos de crise económica, como o que estamos a passar. Basta avaliar os recentes resultados do Edelman Trust Barometer Portugal. Somos um dos países com piores percentagens de confiança no Governo, empresas, media e até ONG.  

 

Há um dado que chamo a atenção, e que reforça o tema do post: somos, de longe, o país que mais credibilidade dá às conversas com familiares e amigos (53% contra 37% da Espanha, União Europeia e resto do mundo). O que, por um lado, é bom. Quer dizer que confiamos nas pessoas como nós.

 

Por outro lado, porém, pode ser um perigo. Pode alimentar os boatos do diz-que-disse, com as respectivas repercussões que isso pode ter em quem é citado.  

 

Saramago, Figo, Mourinho, Amália, Cristiano Ronaldo – que já tanto fizeram por Portugal - que o digam. Todos já o sentiram na pele. Porque teimamos em destruir os nossos símbolos nacionais?


| ... e mais assim! | partilhar

Perfil
Pesquisa
 
Artigos recentes

Confiança – um longo cami...

Os projectos que derrotam...

Nutrition Awards: renovaç...

GPA Brasil: nova edição a...

Portugal, Brasil e as par...

Integração

Expansão lusófona

Economia Verde: o novo pr...

Cooperação brasileira

Dan Edelman (1920-2013)

Ligações
Arquivo

Janeiro 2015

Junho 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Categorias

todas as tags

Subscrever feeds