24 de Junho de 2010
Por José Manuel Costa

Portugal tem que assumir o papel de plataforma entre a China, o Brasil e Angola, sendo muito importante que atraia mais investimento chinês.

 

Esta ideia – que não é nova, diga-se – foi ontem defendida pelo presidente da AICEP, Basílio Horta, durante um encontro para a cooperação económica entre a China e os PALOP que reuniu 50 empresários de Portugal, Brasil, Angola, Moçambique, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Timor-Leste e China.

 

“É um encontro que tem uma importância económica, porque gere negócios, mas tem também para Portugal uma importância muito especial, já que é o único país de língua portuguesa europeu, sendo naturalmente visto como uma plataforma europeia dos interesses representados neste fórum”, adiantou Basílio Horta.

 

No início do ano, este foi um tema a que dediquei algumas horas por dia. Como escrevi aqui várias vezes, acredito na importância do triângulo Portugal/Angola/Brasil – agora transformado por Basílio Horta numa espécie de quadrado, aproveitando a mais-valia que as nossas plataformas e posicionamento comerciais poderão trazer à economia chinesa.

 

Em 2010 o Grupo GCI entrou em Angola e iniciou a exportação de projectos de sustentabilidade para o Brasil. É o início da estratégia.

 

A prosperidade de Angola é uma excelente notícia para Portugal e a possibilidade de efectivar um triângulo Portugal/Angola/Brasil é um dos mais importantes desígnios estratégicos para as empresas portuguesas dos últimos séculos.

 

Há vontade? Há. Há disponibilidade? Há. Há excelência nos produtos ou serviços disponibilizados? Não tenho razões para acreditar que não.

 

Europa, Ásia, África e América unidas através de Portugal. Ora aí está uma excelente oportunidade para sairmos do marasmo e pessimismo de 2008/2010.

 

“Cada vez mais Portugal tem que assumir este papel em relação aos países de língua portuguesa e em relação ao diálogo entre esses países e a China, especialmente entre a China, o Brasil e Angola”, disse ainda o presidente o AICEP.

 

É verdade. E aqui estaremos mais bem posicionados que os restantes PIGS e PIIGS. Ou até mesmo que os PIIGGS. Certo?

 

PS: Para quando a transformação deste quadrado num pentágono?


| ... e mais assim! | partilhar

Perfil
Pesquisa
 
Artigos recentes

Confiança – um longo cami...

Os projectos que derrotam...

Nutrition Awards: renovaç...

GPA Brasil: nova edição a...

Portugal, Brasil e as par...

Integração

Expansão lusófona

Economia Verde: o novo pr...

Cooperação brasileira

Dan Edelman (1920-2013)

Ligações
Arquivo

Janeiro 2015

Junho 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Categorias

todas as tags

Subscrever feeds