9 de Novembro de 2010
Por José Manuel Costa

"O jornalismo está morto ou apenas em evolução?", escrevia há dias o blogger Steve Rosenbaum na Fast Company.

 

E a quem foi o CEO do agregador Magnify.net pedir uma resposta a esta pergunta? A Richard Sambrook, chief content officer da Edelman – e ex-quadro de 30 anos da BBC.

 

Sambrook, de quem já aqui falei - o Lionel Messi dos conteúdos - explica que começou a explorar as redes sociais e o papel destas na transformação das relações entre o público, as organizações e os media tradicionais em 2004.

 

Como sabem, o chief content officer da Edelman tem como papel trabalhar com os clientes globais da consultora e ajudá-los a desenvolverem os seus próprios conteúdos. E explica a Rosenbaum algo que as marcas - e também as portuguesas - deviam ter na ponta da língua.

 

“Todos os media estão a lutar, todos os dias, com a transição digital – e a certo ponto o jornalismo, por exemplo nos Estados Unidos e Europa, está a encolher”, revela.

 

A era dos mass media que chegavam às mass audience acabou – e os modelos de negócio tanto dos media como da publicidade estão a mudar dos mass para o micro.

 

“As empresas de media estão a lutar. É reconhecido que os spots publicitários são cada vez menos eficientes e, por isso, as empresas estão à procura de novas formas de se relacionar com os consumidores”. Bom, isto já se sabia, digo eu.

 

“O digital dá às empresas uma oportunidade de irem directamente ao público em vez de serem mediadas pelo jornalismo”, continua Sambrook. Também já sabíamos.

 

“Todas as empresas não só têm a oportunidade mas também agora a responsabilidade de contar as suas próprias estórias, a sua própria narrativa”. Esta afirmação é muito importante e, ainda que não seja nada de novo – também não foi isso que lhe foi pedido – é importante salientar aqui a palavra “responsabilidade”.

 

Hoje, a palavra já não é “oportunidade”. Agora falamos de “responsabilidade”… a oportunidade já era.

 

Ou seja, os jornalistas ou os blogs passaram a ser as fontes secundárias. Continuam a ser importantes, ninguém diz o contrário, mas hoje as principais fontes são as próprias empresas e marcas. O público que ler, ver e ouvir a sua - delas, das marcas - versão e perspectiva da estória.

 

Um exemplo dado por Sambrook. “Quando alguém tem um problema de saúde e faz uma pesquisa online para saber mais, na verdade os sites mais úteis foram lançados por grandes farmacêuticas ou instituições de solidariedade social. Os sites menos úteis são os noticiosos, feitos pelos jornalistas especializados, porque eles apenas nos dão coisas em segunda mão e as pessoas querem ir directamente à fonte”.


Por isso, digo eu, muitas consultoras estão a contratar jornalistas. “[Costumo perguntar aos meus clientes]: quais são os assuntos que [lhe interessa] ter na conversa? Eu, enquanto antigo jornalista, vou ajudá-lo a perceber como ter uma voz nestas conversas e como ter uma posição neste assunto”.

Finalmente, o CCO da Edelman pede “humildade” às marcas, o que por vezes é difícil de reconhecer pelas próprias. "Não acho que o jogo tenha terminado para o jornalismo. Mas acho que o seu papel e a forma como ele se relaciona com o público tem de mudar. Estou muito optimista [e sei] que o jornalismo tem [ainda] um muito, muito importante futuro, mas que este será apenas diferente do passado".

 

Noutras palavras, Sambrook faz um apelo: marcas, contem as vossas próprias “estórias”. Em Portugal, muitas delas ainda não o perceberam. Não há problema, é (também) para isso que a GCI está aqui.


| ... e mais assim! | partilhar

Perfil
Pesquisa
 
Artigos recentes

Confiança – um longo cami...

Os projectos que derrotam...

Nutrition Awards: renovaç...

GPA Brasil: nova edição a...

Portugal, Brasil e as par...

Integração

Expansão lusófona

Economia Verde: o novo pr...

Cooperação brasileira

Dan Edelman (1920-2013)

Ligações
Arquivo

Janeiro 2015

Junho 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Categorias

todas as tags

Subscrever feeds