29 de Novembro de 2010
Por José Manuel Costa

Há quase um ano, apostámos de caras que iria ser feita história em Copenhaga. O fracasso dessa Cimeira do Clima foi um duro soco no estômago – sobretudo para a União Europeia – o que, porém, não acalmou a ânsia da comunidade global em lutar por um futuro sustentável.

 

Hoje entramos em Cancún sem expectativas - e sem líderes -  mas para trás ficou um ano, na minha opinião, quase sem parelelo. Um ano magnífico e em que a sociedade se mobilizou de forma extraordinária para tentar alterar comportamentos e mentalidades.

 

Em Portugal e no resto do mundo. Em Inglaterra. Nos Estados Unidos.

 

Foi o ano do Limpar Portugal – que venceu um Green Project Award em Campanha de Comunicação – e do 10/10/10. Das conferências de sustentabilidade e biodiversidade. Das renováveis. Das cidades verdes. Do esquema de partilha de bicicletas de Londres, do Menos Um Carro em Lisboa e dos biliões de investimento em alta velocidade, na China.

 

O que os políticos não fizeram, os (outros) decisores executaram. Os cidadãos mobilizaram-se e a mudança de mentalidades deu um importantíssimo passo rumo ao desenvolvimento sustentável.

 

Também há um ano, o Banco Alimentar recolheu 2.850 toneladas de alimentos para a época natalícia. Este ano, numa conjuntura em que um em cada cinco portugueses estão no limiar da pobreza, estes números subiram para as 3.625 toneladas.

Mais do que as minhas, deixo as palavras da presidente do Banco Alimentar, Isabel Jonet, “As quantidades de géneros recolhidos, apesar da profunda crise económica que afecta o País, mostram que os cidadãos portugueses são intrinsecamente generosos e aderem inequivocamente a projectos cujos objectivos compreendem”, continuo Isabel Jonet.

 

“Mostrámos todos que é possível reagir, sem desesperança, tomando entre mãos e contribuindo com aquilo que está ao nosso alcance para a resolução dos problemas mais prementes que afectam a nossa sociedade. Cá estaremos para provar que somos merecedores desta adesão, desta solidariedade e desta confiança”, disse ainda.

 

Cimeira do Clima e Banco Alimentar: num ano, tudo mudou. O que se manteve? A capacidade do cidadão comum em fazer milagres e lutar por projectos em que, não só acredita, como compreende.


Cada vez mais, as pessoas podem mudar o mundo sozinhas. E elas sabem perfeitamente disso.


| ... e mais assim! | partilhar

Perfil
Pesquisa
 
Artigos recentes

Confiança – um longo cami...

Os projectos que derrotam...

Nutrition Awards: renovaç...

GPA Brasil: nova edição a...

Portugal, Brasil e as par...

Integração

Expansão lusófona

Economia Verde: o novo pr...

Cooperação brasileira

Dan Edelman (1920-2013)

Ligações
Arquivo

Janeiro 2015

Junho 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Categorias

todas as tags

Subscrever feeds