7 de Julho de 2011
Por José Manuel Costa

Aproveito a nomeação de Ed Williams para CEO da Edelman UK, ontem conhecida, para recuperar uma outra alteração na estrutura da Edelman global, estruturalmente mais relevante.

 

A 22 de Junho, a Edelman nomeou a primeira chief innovation officer (CIO) na longa história da empresa: Nancy Ruscheinski. A profissional, há 24 anos na Edelman e até agora presidente e COO da Edelman US, é membro do comité executivo e irá continuar em Chicago.


“A Edelman criou este cargo para garantir que a empresa continua na liderança da inovação, ao criar novos serviços, ferramentas e processos em toda a sua rede global”, explicou a multinacional, na qual a GCI é afiliada, em comunicado.


Ruscheinki terá quatro missões: 1. elevar a oferta de conteúdos da empresa e ajudar a incentivar a inovação que facilita a “navegação” dos clientes no ecossistema actual dos media – tradicionais, novos, sociais e próprios; 2. acelerar o desenvolvimento de produtos para expandir as capacidades da Edelman, com foco na pesquisa, vídeo, redes sociais e mobile; 3. adoptar uma cultura de inovação através da partilha de ideias; 4. explorar oportunidades para gerar novas receitas.

 

A profissional – que foi responsável, por exemplo, pela expansão da área digital da Edelman -, foi rápida a apontar alguns dos mercados-alvo da inovação da Edelman: Brasil, China, Índia, Indonésia, tendo sempre como base as parcerias com empresas locais e com os respectivos escritórios da multinacional.

 

É claro que a inovação não é nova na Edelman. Ela é estratégica há 60 anos, a partir do momento em que Dan Edelman organizou a sua célebre “media tour”. O Public Engagement é apenas a última inovação estratégica de uma empresa movida a combustível intelectual.


Como tive já oportunidade de referir nas últimas semanas, em vários artigos jornalísticos sobre o mercado de PR (Exame e Diário Económico, por exemplo) mas também neste blog, a GCI aposta e continuará a aposta na inovação em Public Relations, de que é exemplo o Public Engagement.

 

Sendo este um sector extremamente competitivo – em Portugal e não só -, exigente e onde é necessário estar permanentemente a fazer evoluir estratégias e metodologias de trabalho, ele debate-se, por vezes, com falta de criatividade, curiosidade, competência e inovação. E é esta letargia que a GCI combate.


| ... e mais assim! | partilhar

Perfil
Pesquisa
 
Artigos recentes

Confiança – um longo cami...

Os projectos que derrotam...

Nutrition Awards: renovaç...

GPA Brasil: nova edição a...

Portugal, Brasil e as par...

Integração

Expansão lusófona

Economia Verde: o novo pr...

Cooperação brasileira

Dan Edelman (1920-2013)

Ligações
Arquivo

Janeiro 2015

Junho 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Categorias

todas as tags

Subscrever feeds