18 de Setembro de 2011
Por José Manuel Costa

Há duas semanas, a revista Time dedicou sua capa à alimentação saudável. A forma escolhida para tratar o assunto foi arriscada: um artigo de opinião do Dr. Oz, o tal que foi celebrizado por Oprah Winfrey.

O artigo de Mehmet Oz não traz, aparentemente, nenhuma grande novidade para as ciências da nutrição, mas coloca alguma ordem num dos assuntos que mais recebe atenção, hoje, nos Estados Unidos.

Na Time, Oz desvenda algumas das verdades e mitos da comida, explica como a nossa dieta se alterou ao longo dos últimos cem anos e que produtos nos fazem bem e mal.

Certo de que o nosso corpo já não terá grandes segredos na forma como reage à comida – e como “moléculas específicas afectam funções específicas de células específicas” -, Oz partiu para a desmistificação. Disse que poderíamos integrar, na nossa dieta, produtos como os ovos, o leite, as nozes, o vinho, o chocolate e o café. Todos eles podem ser benéficos à nossa saúde, caso sejam consumidos com moderação.

A moderação é, aliás, a chave.

Não sendo um especialista em nutrição, estou absolutamente convencido que a alimentação saudável – e a sua ligação à saúde, sustentabilidade e alterações climáticas, entre outros, – será um dos grande temas da década que ainda agora arrancou.

É um tema que terá de ser trabalhado entre o sector privado, Governo, autarquias e ONGs, e no qual a comunicação será fundamental, alertando para a mudança de mentalidade e criando pontes entre stakeholders.

Creio que Portugal está no bom caminho para ser pioneiro no desenvolvimento de um conjunto de acções que impulsionem a nutrição sustentável. Temos o conhecimento e a vontade de vários dos interessados. E, pelo que posso ver pelo feedback que recebemos do agregador Green Savers – cuja categoria de Nutrição é uma das mais comentadas – há cada vez mais portugueses bem informados sobre a nutrição saudável e a sua ligação aos temas da sustentabilidade.

Há, por isso, que aproveitar o momento, capitalizar o que de bom fazemos em Portugal e evoluir para uma nova mudança de mentalidades. Por isso, amanhã reconhecemos e premiamos o que melhor se faz, no campo da nutrição sustentável, em Portugal.

Na Fundação Calouste Gulbenkian, a partir das 17h, decorre a 2ª edição dos Nutrition Awards, os prémios da nutrição sustentável e que, uma vez mais, são oganizados pela Associação Portuguesa dos Nutricionistas (APN) e GCI.

A cerimónia de entrega dos Nutrition Awards está aberta a todos, bastando para tal inscrever-se neste link.

Para além do reconhecimento público, os projectos vencedores terão uma oportunidade – real – de serem aproveitados pelas várias indústrias, retrabalhados – caso seja o caso - ou, simplesmente, servirem de inspiração para a criação de novas ideias. E mobilizar toda uma indústria para continuar a inovar. 


| ... e mais assim! | partilhar

Perfil
Pesquisa
 
Artigos recentes

Confiança – um longo cami...

Os projectos que derrotam...

Nutrition Awards: renovaç...

GPA Brasil: nova edição a...

Portugal, Brasil e as par...

Integração

Expansão lusófona

Economia Verde: o novo pr...

Cooperação brasileira

Dan Edelman (1920-2013)

Ligações
Arquivo

Janeiro 2015

Junho 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Categorias

todas as tags

Subscrever feeds