14 de Dezembro de 2011
Por José Manuel Costa

Para conseguirmos uma verdadeira mudança de mentalidades não basta falar dela constantemente ou anunciá-lo com pompa e circunstância. Há que pensá-la, trabalhá-la no terreno, torná-la uma realidade. E efectivá-la.

 

Quando explico – repetidamente – que um dos objectivos da GCI é lutar por esta mudança de mentalidades, em várias áreas da nossa sociedade, estou a pensar em estratégias efectivas e visíveis para atingir estes objectivos.

 

O caminho para a mudança de mentalidades é longo e pressupõe inovação, curiosidade, criatividade e competência. Características que, como sabem, acho fundamentais para a valorização de uma consultora de comunicação, na forma como esta se integra e relaciona com as outras disciplinas do marketing, por exemplo.

 

E quando digo – repetidamente – que temos de repensar as consultoras de comunicação, na procura do Public Engagement, estou também a falar, na prática, de uma mudança de mentalidades.

 

Um exemplo: a GCI quer mudar a forma como se comunicam as campanhas sobre o VIH/Sida em Portugal, para conseguir alterar comportamentos e motivar as pessoas a fazer o teste.

 

Por isso, vamos lançar amanhã mais um movimento da sociedade civil, o É Melhor Saber, que promove a necessidade de diagnóstico atempado e precoce do VIH/Sida.

 

Por outras palavras, é um movimento que pretende levar as pessoas a fazer o teste do VIH que, ao contrário do que sucedida há uns anos, se for detectado precocemente pode ser controlado de forma preventiva e permitir uma vida com maior qualidade. E, não menos importante, evitar o contágio aos que mais gostamos.

 

Porque razão estamos a lançar este movimento? Portugal tem uma das maiores prevalências de VIH/Sida do continente europeu. E estes tratamentos custam 200 milhões de euros anuais ao Estado.

 

O movimento envolve subscritores e apoiantes da maioria das entidades que actuam na prevenção e tratamento da infecção VIH/Sida: desde as principais organizações da sociedade civil e ONGs que exercem a sua acção no campo de luta contra o vírus, as sociedades médicas e científicas.

 

O projecto conta também com o Alto Patrocínio da Presidência da República, o apoio institucional da Direcção-Geral da Saúde e da RTP, que é o media partner. E envolve todos os cidadãos que reconhecem neste movimento uma causa que diz respeito a todos.

 

Esta será, cada vez mais, a linguagem da GCI. A mudança de mentalidades não se anuncia. Faz-se. 


| ... e mais assim! | partilhar

Perfil
Pesquisa
 
Artigos recentes

Confiança – um longo cami...

Os projectos que derrotam...

Nutrition Awards: renovaç...

GPA Brasil: nova edição a...

Portugal, Brasil e as par...

Integração

Expansão lusófona

Economia Verde: o novo pr...

Cooperação brasileira

Dan Edelman (1920-2013)

Ligações
Arquivo

Janeiro 2015

Junho 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Categorias

todas as tags

Subscrever feeds